Sociedades médicas e de análise clínica do Brasil não veem mais o jejum como pré-requisito para alguns exames de sangue, como os de colesterol e triglicérides. A liberação é fruto da mudança nos valores de referência desses testes, bem como de estudos que não mostraram haver impacto da restrição alimentar nos resultados.

Conforto e menor risco de passar mal (sobretudo em crianças, gestantes e idosos) estão entre as vantagens da tendência. “Sem contar que agora é possível colher o sangue ao longo do dia, não só pela manhã”, diz o patologista Gianfranco Zampieri, do SalomãoZoppi Diagnósticos, em São Paulo.



COMPARTILHE: